Em modo # Yann Tiersen | CCB

Primeiro evento musical desde o regresso a Lisboa e, claro está, adorei. Andava há anos a tentar assistir a um espetáculo do Yann Tiersen de quem fiquei fã depois de o conhecer através da banda sonora que compôs para o filme O fabuloso destino de Amélie. Foi hoje no CCB e soube a pouco…
Yann Tierson | 19.10.2014 | CCB

Yann Tierson | 19.10.2014 | CCB

Opiniões que gostei de ler # Amputação | JCNeves

“Tenho problemas respiratórios desde pequeno, com asma, bronquites, etc. Viver com os meus pulmões não é nada fácil, mas nunca me passou pela cabeça andar sem eles. Tenho tido problemas com a minha mulher desde que casámos. A vida de família nunca é simples e em inúmeras coisas discordamos frontalmente. É assim em todos os casais, mas haverá alguma razão para eu pensar em viver sem ela? (…) Sei que existem transplantes de pulmões e até de coração, amputação de membros e outras intervenções drásticas. Mas o que as caracteriza é precisamente a última palavra: “drásticas”. Acontecem só em risco iminente de morte, porque a atitude da medicina é que, mesmo com grandes dor e sofrimento, é sempre melhor cada um ficar com o corpo com que nasceu. (…) No que toca à família, aquele corpo a que pertencemos desde que nascemos, de forma tão visceral como o organismo, o nosso tempo prefere a opção inversa. Ao menor problema a sociedade opta pela amputação e transplante, quase como solução inicial, muitas vezes até descurando analgésicos e paliativos simples e acessíveis. (…)”
João César das Neves | 15.10.2014 © DIÁRIO DE NOTÍCIAS
Texto integral aqui.
Eu gostei de ler este artigo de opinião mas que ele é um tanto ou quanto estranho… lá isso é. Ainda assim vale pela criatividade e realidade que encerra. Na verdade, não deixa de ser estranho a facilidade como descartamos o essencial e a dificuldade que temos de nos libertar do acessório…

E hoje é dia… # … mundial da alimentação

Hoje celebra-se o Dia Mundial da Alimentação. Esta comemoração, que teve início no ano de 1981 e que recorda também o aniversário da fundação da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), é actualmente celebrada em mais de 150 países como uma importante data para sensibilizar a opinião pública sobre as questões da nutrição e da alimentação.
O ano de 2014 foi escolhido pelas Nações Unidas para celebrar o Ano Internacional da Agricultura Familiar, com o objetivo de reposicionar a agricultura familiar no centro das políticas agrícolas, ambientais e sociais nas agendas nacionais, identificando lacunas e oportunidades para promover uma mudança rumo a um desenvolvimento mais equitativo e equilibrado.
A agricultura familiar não só contribui consideravelmente para a segurança alimentar do mundo, como também protege a agro-biodiversidade e o uso sustentável dos recursos naturais, preservando os alimentos e as dietas tracionais e impulsionando as economias locais, ajudando a combater a pobreza absoluta.

Alim

© FAO
Por aqui, e infelizmente, não se faz crescer vegetais e o esforço de reeducação alimentar já conheceu melhores dias…